Não é fugir. É dissolver esta «justiça» de carnaval e conceber uma verdadeira.
Diogo a 10 de Outubro de 2009 às 23:37