Louçã enganou-se se achava que a máquina de propaganda socialista brincava em serviço. Não brinca, como já se viu. Neste momento, para o PS, vale tudo o que permita ao partido ter mais um voto e o Bloco limita-se a estar no caminho de uma vitória. Louçã não esquecerá este episódio quando os dois partidos tratarem de um cenário de coligação pós-eleições. Sócrates pode ganhar mais um punhado de votos, perdendo, contudo, a aliança de que precisa como de pão para a boca. Neste momento, não lhe interessa. É a história do escorpião que pede ajuda à rã para atravessar o rio. Veremos se Louçã não se importa de fazer de rã num cenário pós-eleitoral.
José Barros a 20 de Setembro de 2009 às 16:49