Um amigo meu é gerente de um restaurante situado numa zona privilegiada daqui do Porto e volta e meia precisa de pessoal, quer para a cozinha quer para as mesas. A maioria dos candidatos pede ou, mesmo, impõe a condição de não fazer descontos pois querem acumular o ordenado com o subsídio de desemprego e/ou subsídio de reinserção. Condição que ele obviamente não aceita.
P.F. a 11 de Agosto de 2009 às 19:34

Infelizmente conheço alguns casos assim e um muito perto de um grande amigo meu que ficou sem emprego à pouco tempo.

Sei que tem de carimbar o tal impresso e apresentar-se a uma visita mensal com comprovativos de pedidos de entrevista e envio de curriculos via email, para que possa continuar a receber o indigno subsidio de desemprego que aufere agora.
Para uns é o único apoio do estado, para outros que se aproveitam do "sistema" é apenas mais um subsidio a juntar a tantos outros que recebem e que no seu cúmulo, muitas vezes é mais que a media salarial nacional.

Agora resta saber que se quem carimba o tal "papelinha" busca mesmo emprego e findar a situação infeliz em que se encontra, ou se por sua vez tenta é se manter desempregado e em "férias"...

abr...
Nuno Raimundo a 11 de Agosto de 2009 às 20:24

Pelo menos a pessoa foi sincera. Há outra técnica difundida para levar o devido carimbo de presença, mas não ser escolhido: levantar imensos problemas na entrevista (não tenho carro, não sei fazer isto, não dá para ir a casa almoçar, gasto mais em transportes do que se ficasse em casa a receber subsídio, etc). Demonstrar apatia ou mau feitio é um bónus.
Elisabete Joaquim a 11 de Agosto de 2009 às 21:27