Gosto da expressão "contar gotas numa queda de água". No que toca à política nacional, há muito que o país anda entretido com meras gotas.
Jorge Assunção a 13 de Agosto de 2009 às 12:53

E agora que o país está a banhos, ainda mais :)
jorge a 13 de Agosto de 2009 às 13:16

A crise é purificadora! Que os pobres sofram, que os desempregados passem fome, mas acima de tudo que o estado não estoire dinheiro a tentar ajudá-los, temos outros sítios melhores para aplicar o dinheiro, como por exemplo no BPP e no BPN...
manuel gouveia a 13 de Agosto de 2009 às 13:26

Manuel, não vejo onde o meu texto transmita esse ponto de vista. Invoco, sim, as medidas que o governo tem usado no "combate" à crise, as mesmas que agora supostamente nos terão feito sair da crise. São, portanto, medidas económicas: o que está em causa: os apoios à banca, a compra da seguradora para as exportações, as obras públicas, etc.
jorge a 14 de Agosto de 2009 às 01:34

Talvez esta frase: "estoirar dinheiro no "combate" à crise ", que num certo argumentário nacional de direita quer dizer dinheiro gasto em políticas sociais. Custa-lhes mais o RSI, sem expressão no OE, do que todo o dinheiro enfiado na banca.

Essa foi a minha interpretação, talvez abusiva, mas que permitiu esta troca de ideias.

Eu supus que teria sido essa a tua interpretação, daí ter sublinhado o meu enfoque.
jorge a 14 de Agosto de 2009 às 11:45

manuel gouveia a 14 de Agosto de 2009 às 14:53