Esta foi a 3ª vez que muitas mulheres minhas conhecidas se deixaram levar por um... fato.
A 1ª foi há muitos anos e apanhou-me completamente de surpresa. Eu era jovem e bem parecido, estava numa posição profissional invejada e não estava preparado para ouvir uma mulher casada que trabalhava na minha esfera afirmar-me que um tipo muito mais velho, já a engordar, "era um homem muito interessante" após ele ter sido empossado director de serviços. Uma das pessoas mais hipócritas que jamais conheci. O homem era socialista.
A 2ª foi quando a populaçâo feminina do concelho de cascais fez eleger josé judas como presidente da câmara. Já na altura perguntei a várias mulheres o que viam em judas que justificasse darem-lhe a sua confiança política. A barba de 3 dias? O sapatinho vela sem meia? Nunca consegui concluir nada das conversas que mantive com muitas colegas e amigas. Um verdadeiro troca-tintas. O homem é socialista.

E agora, este canastrão... também socialista.
Permita-me a pergunta: O que vêm as mulheres nestes tipos? O que as leva a bloquear o raciocínio e a dar o seu voto a gente desta, gente em quem não se pode confiar mesmo?
zedeportugal a 14 de Agosto de 2009 às 15:22

«O que vêm as mulheres nestes tipos?»

O mesmo que os homens. O atributo de jogar politicamente com a imagem, ser sexy politicamente (ter carisma, fazer marketing de personalidade) é algo que atrai tanto homens como mulheres. É o chamado efeito-Obama: ele angaria apoio sobretudo pela maneira como vincula ideias e não tanto pelas ideias em si.

Mas o texto não diz que ele é de facto sexy (nem de facto Forte, ou Iluminado), mas sim que sê-lo é para ele uma estratégia para obter votos. As mulheres não têm a culpa de Sócrates ter escolhido ser rodeado por mulheres no cartaz para dar essa imagem de O Desejado.

As mulheres não têm a culpa de Sócrates ter escolhido ser rodeado por mulheres no cartaz para dar essa imagem de O Desejado.

Mas foram maioritariamente os votos delas que o elegeram. Não é por acaso que esta cartaz tem as mulheres: elas são exactamente o público-alvo da campanha.


Maioritariamente? Há estatística?

"Maioritariamente? Há estatística?"

Intrometendo-me na vossa conversa, não me parece correcto afirmar que foi maioritariamente o voto das mulheres que elegeu Sócrates. Contudo, em termos de estatísticas, o que há é isto:

http://3.bp.blogspot.com/_wktdR0F6ueQ/SaKiE6wjrkI/AAAAAAAAA30/9gpexuh9KcU/s1600-h/Voto+por+sexo+2005.bmp

Dentro do subgrupo mulheres, o PS teve 48% dos votos, contra os 45% no agregado global. Não tirava daqui grandes conclusões.