Vender o aeroporto com base na capacidade esgotada já se sabia há muito tempo que era um argumento de fachada. Veja-se por exemplo a landing slots disponíveis para a Portela e para Heathrow.
jorge a 15 de Agosto de 2009 às 13:02

"Veja-se por exemplo a landing slots disponíveis para a Portela e para Heathrow."

É verdade. Mas a questão sempre foram as horas a que a Portela está esgotada, acho que não serviam os interesses estratégicos da TAP, nem do governo, nomeadamente a utilização deste como porta de entrada e saida da Europa, a utilização do aeroporto como um Hub internacional. O governo quer salvar a TAP da falência, beneficiando o modelo de negócio desta, ao mesmo tempo que desfavorece o modelo de negócio, por exemplo, das low cost.