Não me parece que possas defender a não interferência no sector privado e livre mercado e depois:

"Em contrapartida as empresas oferecem emprego a políticos que deixam o activo..."

Criticares a liberdade que o mercado tem em contratar seja quem for.
Daniel João Santos a 4 de Agosto de 2009 às 10:16

Defendi a total legitimidade da Mota-Engil contratar Jorge Coelho, não me parece que esteja contra a liberdade das empresas contratarem seja quem for. Outra questão é a razão porque o fazem, que retorno esperam obter da contratação de políticos.
António de Almeida a 4 de Agosto de 2009 às 11:08