Eheh bem visto!!
Samuel de Paiva Pires a 9 de Setembro de 2009 às 13:13

é uma leitura realista do debate e dessas enigmáticas declarações de Louçã. Mas tenho alguma tendência a achar que Louçã está a lutar pelos 10% e sabe que só os consegue roubar à esquerda, particularmente ao PS.
Vítor Jesus a 9 de Setembro de 2009 às 13:18

Louçã está a lutar pelos 10% e sabe que só os consegue roubar à esquerda, particularmente ao PS

Mas é exactamente isso que ele (Louçã) está a dizer.
As sondagens estão a dar 32-34% ao PS e o Louçã pensa: - 34+10 são os mágicos 44% para ter maioria de deputados... e, se for assim, tenho o PS à minha mercê.
zedeportugal a 9 de Setembro de 2009 às 14:41

Tenho outra opinião, Louçã aposta na substituição da liderança do PS, algo que a meu ver dificilmente acontecerá, mas julgo que Sócrates venceu mesmo o debate, porque passou uma mensagem de alarmismo sobre o fim dos benefícios fiscais proposto pelo BE , por sua vez Louçã não foi capaz de passar a mensagem, defende o fim de algumas deduções por apostar na universalidade dos serviços, não explicou como o conseguirá, e depois na teoria do fim dos PPR sem apresentar um modelo fiscal alternativo, previsivelmente taxas mais baixas. Poderia ainda ter sido mais incisivo na questão da Liscount , mas apostou na AE , onde afinal parece que a concessão não está adjudicada. Esperava mais de Louçã nestes debates, mas desiludiu-me com Jerónimo e MFL nitidamente os mais fracos), e principalmente com José Sócrates, a quem não conseguiu irritar. Mas isto é a minha análise, subjectiva está bom de ver...
António de Almeida a 9 de Setembro de 2009 às 13:22

também fiquei com essa impressão. Louçã sente o cheiro do poder e quer prová-lo.
o Bloco é o único partido que cresce em Portugal e penso que Louçã poderá aspirar a mais de 10%, tornando-se assim um "partido do poder".
quanto a uma coligação PS/Bloco penso que seria um erro para os dois partidos. Louça lucra muito mais com um Governo fraco e precisa do Parlamento para o partido se impôr.
de sousa a 9 de Setembro de 2009 às 18:52