A sombra de quem foi grande assombra os pequenos de espírito que hoje não não conhecem nem conseguem estar à altura do espírito de missão de António de Oliveira Salazar.

Num país livre na verdadeira acepção do termo Salazar seria homenageado e devidamente valorizado pelo seu contributo, favorecido por um carácter raroe um trabalho de governação inestimável até aos anos 60... e só por isso merece dar o seu nome à Ponte, sim, para a qual muitos portugueses contribuíram directamente de sua bolsa sem derrapagens financeiras.
P.F. a 15 de Setembro de 2009 às 23:10